Livros

O Olho de vidro do meu avô

21 de July de 2015 por Clara Di Lernia

Olho de Vidro001

Autor(a): Bartolomeu Campos de Queirós

Editora: Moderna

Ano de lançamento: 2004

 

Resenha:
Bartolomeu Campos de Queirós (1944-2012) contava em entrevistas que sempre fora fascinado pela imagem do olho de vidro do avô que herdara e que tinha a sensação de que em algum momento escreveria sobre ele. E o fez nesse livro em que recorda, a partir do olhar do menino que fora, os pensamentos, as sensações e as imaginações que lhe davam a convivência com o avô que enxergava apenas com um olho. Ele ocultava a falta do outro com um olho de vidro que, segundo o menino, buscava inventar tudo o que não via. Com sua linguagem poética, em seções curtas e brincando com as figuras do esquerdo e do direito, do inteiro e da metade, reconta ainda a história dos filhos e filhas do avô que, se aproveitando da visão que faltava ao pai, fizeram escolhas singulares.   

Trecho do livro:
“O que seu olho de vidro não via, ele fantasiava. E inventava bonito, pois eram da cor do mar os seus olhos. E todo mar é belo por ser grande demais . Tudo cabe dentro de sua imensidão: viagens, sonhos, partidas, chegadas, mergulhos e afogamentos.  Há que se contar os desassossegos que as águas nos provocam.” (p. 6)

Para quem?
exp sozin

Para quê?
rir emocionar pensar

Clara Di Lernia Estudante de Biblioteconomia, empenhada em demonstrar que a profissão tem muito a colaborar com os tempos atuais. Apaixonada por histórias desde pequena, busca - no contar das palavras escritas, da oralidade, dos desenhos, dos sons - entender e explicar um pouco essa coisa que é o mundo.

compartilhe essa leitura!

banner superior

deixe seu comentário!

0 comentários