18 parlendas para brincar em casa ou na escola

por:

“Corre cutia, na casa da tia, 

Corre cipó, na casa da avó…”

Você provavelmente ouviu esses versos na sua infância. Largamente difundidos por crianças de todo o Brasil, as parlendas são velhas conhecidas nas brincadeiras de roda, de pegar e até em outros contextos. Cantos como esses fazem parte do folclore brasileiro, ou seja, da tradição oral e da cultura popular.

Existem diversos tipos de versos ligados à cultura da infância, como trava-línguas e adivinhas. Mas as parlendas estão muito relacionadas às brincadeiras infantis, como lembra Jacqueline Heylen, autora de Parlenda, riqueza folclórica: base para a educac̜ão e iniciac̜ão à música, que define o tipo de canção infantil como: “um conjunto de palavras de arrumações rítmicas em forma de versos que rimam ou não. Ela se distingue dos demais versos pelas atividades que acompanha, seja jogo, brincadeiras ou movimento corporal.”

Assim como as cantigas registradas em Quem canta seus males espanta, livro de Theodora Maria Mendes de Almeida que reúne alguns desses conhecidos versos de tradição oral com ilustrações das crianças (e enviado em fevereiro aos assinantes Bebês do Clube de Leitores A Taba), as parlendas podem ter diversas intenções.

Enquanto algumas delas são usadas para decidir quem começa uma brincadeira, outras são a própria brincadeira. Muitas são usadas em brincadeiras de corda, por exemplo. Com versos que normalmente têm cinco ou seis sílabas, elas apresentam variações por todo o Brasil. Não raro nos deparamos com uma parlenda um pouco diferente daquela que ouvimos e cantamos na infância.

Vindas da ideia de “parlar”, ou falar, as parlendas são principalmente brincadeiras com palavras, que muitas vezes não têm um sentido claro:

Bão balalão

Senhor capitão

Espada na cinta

Ginete na mão

Luís da Câmara Cascudo, importante folclorista brasileiro, chamou atenção para um tipo específico de parlenda: as mnemonias, versos que ajudam a memorizar algo: pode ser números, dias da semana ou até as cores. 

Um, dois, feijão com arroz,

Três, quatro, feijão no prato,

Cinco, seis, falar inglês,

Sete, oito, comer biscoito, 

Nove, dez, comer pastéis

E você? Quais são as parlendas da sua infância? Conte aqui nos comentários!

18 parlendas para cantar com as crianças

Lá em cima do piano

Tem um copo de veneno

Quem bebeu morreu

O culpado não fui eu.

***

Um, dois, feijão com arroz,

Três, quatro, feijão no prato,

Cinco, seis, falar inglês,

Sete, oito, comer biscoito, 

Nove, dez, comer pastéis

***

Bão balalão

Senhor capitão

Espada na cinta

Ginete na mão

***

Corre cutia, na casa da tia.

Corre cipó, na casa da avó.

Lencinho na mão, caiu no chão.

Moça bonita, do meu coração…

Um, dois, três!

***

Dedo mindinho,

Seu vizinho,

Pai de todos,

Fura bolo,

Mata piolho.

***

Uni, duni, tê,

Salamê, mingüê,

Um sorvete colorê,

O escolhido foi você!

***

Hoje é domingo, pede cachimbo.

O cachimbo é de ouro, bate no touro.

O touro é valente, bate na gente.

A gente é fraco, cai no buraco.

O buraco é fundo, acabou-se o mundo.

***

Rei, capitão,

soldado, ladrão.

moça bonita

Do meu coração.

***

Batatinha quando nasce

se esparrama pelo chão.

Menininha quando dorme

põe a mão no coração.

***

Chuva e sol, casamento

de espanhol.

Sol e chuva, casamento

de viúva.

***

Quem cochicha,

O rabo espicha,

Come pão

Com lagartixa

Quem reclama, 

O rabo inflama,

Come pão 

Com taturana.

***

Enganei um bobo

Na casca do ovo!

***

Dedo mindinho,

Seu vizinho,

Pai de todos,

Fura bolo,

Mata piolho.

***

Cadê o toucinho que estava aqui?

O gato comeu.

Cadê o gato?

Foi pro mato.

Cadê o mato?

O fogo queimou.

Cadê o fogo?

A água apagou.

Cadê a água?

O boi bebeu.

Cadê o boi?

Foi carregar trigo.

Cadê o trigo?

A galinha espalhou.

Cadê a galinha?

Foi botar ovo.

Cadê o ovo?

O frade comeu.

Cadê o frade?

Tá no convento.

***

Suco gelado

cabelo arrepiado.

Qual é a letra

do seu namorado?

***

Tá com frio?

Toma banho no rio.

Tá com calor?

Toma banho de regador.

***

Eu sou pequenininha,

do tamanho de um botão.

Carrego papai no bolso

e mamãe no coração.

***

Era uma bruxa

à meia-noite

em um castelo mal-assombrado

com uma faca na mão

passando manteiga no pão.

***

Salada, saladinha

bem temperadinha

com sal, pimenta.

Fogo, foguinho, fogão

++ Leia mais: Folclore: 30 dicas de livros e atividades para as crianças

deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tartaruga Nara

acompanhe a gente!

receba as novidades da Taba em primeira mão: