10 dicas para montar a biblioteca do bebê

por:

10 dicas para montar a biblioteca do bebê

Assim que recebem a notícia de que um bebê está chegando, os pais logo começam a preparar o ninho. Nesse cenário de espera, os livros ocupam um lugar privilegiado, pois além de apresentar a beleza da palavra e das imagens, o momento de leitura pode contribuir para a construção de vínculos, aproximando – desde cedo – pais e crianças em torno da literatura. Para apoiar as famílias, preparamos 10 dicas para montar a biblioteca do bebê.

No entanto, é importante lembrar que ler para um bebê não significa tentar alfabetizá-lo, nem investir para que possa escrever mais rápido e melhor, nem mesmo trata-se de ensiná-lo a nomear as cores ou distinguir os nomes dos animais. Ler para os bebês pode ser uma grande oportunidade para criar experiências estéticas de desenvolvimento da sensibilidade, da criatividade, da inteligência e da imaginação não somente para os pequenos, mas para os adultos também.


Ainda assim, mesmo sabendo da importância de apresentar os livros desde cedo às crianças,  é comum que existam muitas dúvidas sobre esse tema, tais como: bebês devem ganhar apenas livros de pano e de banho? A partir de que idade podemos iniciar a leitura de obras com texto? Que títulos são os mais adequados para esse público? Confira as 10 dicas para montar uma biblioteca diversa e de qualidade.

1. Livro é brinquedo para os bebês

Para os bebês, no início, o livro é apenas um brinquedo que deve ser explorado como outro qualquer. Quando entram em contato com esse objeto, é comum que queiram morde-lo, sacudi-lo e observá-lo de diferentes maneiras. Por isso, em um primeiro momento, os livros de pano, de banho e cartonados podem ser uma ótima porta de entrada para a formação desses leitores. Mas, não é preciso investir muito neles. Um ou dois volumes com esse formato são suficientes.

10 dicas para montar a biblioteca do bebê

2. Invista em obras que não subestimem a capacidade dos bebês

Evite títulos com imagens estereotipadas e que simplesmente associam um desenho ao nome de determinado objeto. Lembre-se que os livros podem ser um excelente campo para que os pequenos possam experimentar a arte. Para isso, adquira obras que contenham imagens que possam ampliar o repertório estético dos pequenos, com ilustrações criadas a partir de diferentes projetos gráficos e literários, os chamado livros-álbum.

3. Revisite suas cantigas de infância

Tornar-se pai ou mãe pode ser uma excelente oportunidade para voltar à infância, relembrando as cantigas, canções e parlendas que fazem parte das suas memórias. Livros com esse tipo de texto permitem que os adultos e crianças possam resgatar a cultura oral brasileira, criando momentos de cumplicidade entre as gerações.

4. Livros com repetição agradam os pequenos leitores

Quando aprendem um novo comportamento ou realizam algo que lhes proporciona prazer, os bebês adoram fazê-lo muitas vezes. Por isso, livros com histórias cuja estrutura apresenta elementos de repetição costumam agradar os pequenos. Além disso, como possuem frases e trechos que aparecem muitas vezes, esses textos são facilmente memorizados, tornando as crianças capazes de ler, mesmo sem saber ler convencionalmente.

5. Histórias rimadas também estão entre as preferidas

Pesquisam revelam que desde a vida intrauterina os bebês são capazes de escutar e reconhecer a voz dos pais. Essa atenção à entonação, ao ritmo e à sonoridade das palavras se mantém, especialmente na primeira infância, quando começam a falar e se aproximar da palavra escrita. Talvez isso explique porque as crianças muito pequenas apreciam tanto as histórias rimadas.

6. Contos de acumulação não podem faltar!

Contos de acumulação, ou seja, histórias que possuem uma estrutura que se repete, na qual novos elementos vão sendo incluídos a cada página, são uma ótima pedida para os pequenos. Isso porque esse tipo de narrativa permite que as crianças – pouco a pouco – memorizem os trechos lidos, participando ativamente do momento da leitura.

7. Livros de poemas são uma ótima pedida

Toda boa biblioteca precisa ter livros de poemas. Bebês adoram metáforas e estão muito atentos aos jogos de linguagem, ao ritmo e à sonoridade presentes na comunicação humana.

8. Contos de fadas são a ponte para a cultura universal

Outro gênero que não pode faltar são os contos de fadas. Por sua alta qualidade artística e sua permanência através dos tempos, esses textos aproximam as crianças da cultura universal por meio de uma linguagem rica e elaborada que não poupa a inteligência dos leitores.

9. Qualidade é melhor que quantidade

Lembre-se: muito mais do que a quantidade de livros, aposte na qualidade e na disponibilidade do acervo. Para formar um leitor, é preciso dar acesso a um repertório de qualidade. Se você tem dificuldade em escolher bons títulos, os Clubes de Assinatura, como o da Taba, que possuem um serviço sério de curadoria, podem ser uma ótima pedida.

biblioteca livro para bebês
Kit da Categoria Bebês do Clube de Leitores A Taba

10. Empreste sua voz e seu colo aos livros e seu bebê

Por último, de nada adianta uma linda bebeteca cheia de livros, se junto com ela não houver um adulto disponível para estar ao lado, acompanhando, emprestando sua voz e seu colo, repletos de afeto e fazendo do momento da leitura algo que possa ficar guardado na memória e no coração dos pequenos.

10 dicas para montar a biblioteca do bebê



A Taba acredita que quando nasce um bebê, pode também nascer uma comunidade de leitores! Aproveite as 10 dicas para montar a biblioteca do bebê e apresente a beleza das palavras e das imagens ao seu pequeno.

10 dicas para montar a biblioteca do bebê

deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

6 comentários
  • Tartaruga Nara

    acompanhe a gente!