Blog

Falar sobre a morte com as crianças: como a literatura infantil pode ajudar?

Talvez nenhum outro assunto assuste tanto as famílias quanto falar sobre a morte com as crianças.

É comum que, diante das perguntas dos pequenos, muitos adultos sintam-se pressionados a oferecer as melhores e mais verdadeiras respostas, respeitando, é claro, a capacidade compreensão das crianças.

Falar ou não sobre a morte com as crianças?

Para a psicóloga Ana Lúcia Naleto, especialista em luto, em entrevista para a revista Revide, “a morte também é assunto de criança. Não podemos esconder dela o fato ou evitar que ela tome conhecimento dele. Falar sobre a morte é importante e saudável para ajudá-la a lidar com o sofrimento. As crianças sentem quando escondemos algo delas e sofrem muito com esta falta de informação.”

Vivemos em um mundo onde há pouco espaço para lidar com as tristezas e as frustrações. E quando se trata da infância, parece haver uma ditadura da felicidade constante, deixando pouco ou nenhum espaço para permitir que experimentem e expressem a tristeza, a frustração, as perdas e o sofrimento nessa etapa da vida.

No entanto, sabemos que todos nós vamos morrer. E embora muitos adultos tenham mais dúvidas do que certezas quando se trata deste assunto, falar sobre a experiência da morte pode ajudar as crianças a elaborar suas perdas e expressar seus sentimentos diante da falta de um ente querido.

Qual o melhor momento para falar sobre este assunto com os pequenos?

Não existe um momento certo para falar sobre a morte com as crianças. O ideal é que essa conversa aconteça antes que elas atravessem uma experiência de perda, para que tenham contato com o tema e possam expressas suas dúvidas livremente, sem medo de apresentar suas dúvidas e inquietações sobre o tema.

Geralmente, as crianças costumam sinalizar de maneira muito clara quando estão prontas para conversar sobre o tema: elas perguntam. Por isso, se seu filho ou sua família estão mostrando curiosidade sobre o tema, fale, converse. E se você tem dúvida sobre como começar a falar sobre este assunto, os livros são uma ótima ferramenta.

É isso mesmo! Os livros literários, assim como outras formas de manifestação da Arte, podem ser um excelente instrumento para abrir uma conversa sobre o tema. Especialmente aqueles que não oferecem uma explicação fechada sobre o assunto, mas que criam espaço para que a família possa conversar e construir suas próprias interpretações sobre o tema.

A boa literatura pode ajudar

A boa literatura cria alimento simbólico e ajuda a criança construir um repertório de emoções e experiências que enriquece a sua vida e lhe ajuda a conhecer sentimentos e situações diferentes daquelas que fazem parte do seu cotidiano.

Como diz o escritor Ilan Breman, o contato com a boa literatura funciona como uma espécie de vacina, fortalecendo a criança. Segundo ele, “para que nossa mente possa enfrentar um ambiente interno e externo hostil, ele precisa de doses pequenas e seguras desses mesmos elementos para que possamos enfrentá-los. Precisamos criar anticorpos simbólicos que ajudem as crianças, principalmente, a combaterem e compreenderem os percalços, os sofrimentos e a complexidade da vida.”

Pensando em ajudar adultos e crianças, a Taba preparou uma seleção especial com algumas dicas de livros muito especiais que certamente abrirão espaço para que adultos e crianças possam conversar sobre este tema tão fundamental. Confira clicando aqui.

Autor Ataba

Denise Guilherme Mestre em Educação, formadora de professores e consultora na área de projetos de leitura. Desde cedo, apaixonada por palavras ditas e escritas. Descobriu nos livros um caminho para entender a si mesma e aos outros. E ficou tão encantada com o que viu que decidiu compartilhar com o mundo.

compartilhe essa leitura!

deixe seu comentário!

0 comentários