Tomoromu – A árvore do mundo

por:

Tomoromu – A árvore do mundo

“Tomoromu – A árvore do mundo” é a história de uma árvore gigante e frondosa capaz de dar, ao mesmo tempo, frutas deliciosas e suculentas de todos os tipos. Foi isso que uma cutia-macho encontrou enquanto passeava pela floresta e não demorou muito para que todos os animais se reunissem ao redor da árvore para aproveitar as delícias que ela era capaz de oferecer. Mas também não demorará muito para que Duid e seu companheiro a descubram e, alimentados pela ganância, decidam derrubar a maravilha a qual deram o nome de Tomoromu. Ao lado de Kamuu (o sol) e Tumikery (criador de todas as coisas), os seres da floresta se unirão para tentar recuperar o que resta de Tomoromu: toda vez que você cruzar com uma mangueira, uma macieira ou abacateiro, pode apostar que tal árvore tem origem nesta história cativante.

Quem são os autores de Tomoromu – A árvore do mundo?

Cristiano Wapichana

“Do ponto de vista wapichana, a fala é o registro da própria humanidade”: talvez seja esta a origem da produção intelectual do músico, compositor, escritor e contador de histórias Cristino Wapichana. Nascido em Boa Vista, ele é um dos mais ativos escritores indígenas brasileiros, colaborando para a difusão da
cultura wapichana através de livros celebrados como “A Boca da Noite” e “O Cão e o Curumim” e arrecadando prêmios e honrarias como o selo Altamente Recomendável FNLIJ e o Prêmio Peter
Pan do IBBY.

mauricio negro


Mauricio Negro é designer, ilustrador, escritor, comunicólogo e gestor cultural. Como ilustrador,
recebeu prêmios como o Jabuti e FNLIJ, e ao lado de Cristino Wapichana, ilustrou a antologia de
literatura indígena “Nós” (2019).

Porque escolhemos este livro para enviar aos assinantes do Clube de Leitores A Taba?

Por muitos anos, a literatura indígena era praticamente inexistente: contos e mitos ficavam restritos a raras ocasiões e era quase impossível encontrar um livro de um autor indígena em uma livraria. Porém, graças ao trabalho de representantes como Cristino Wapichana e Daniel Munduruku, a literatura indígena vive um grande momento, sendo (re)descoberta por adultos e crianças e promovendo o encontro das gerações atuais com histórias que, de boca em boca, sobrevivem até hoje e dão conta de explicar a origem do mundo através da compreensão de que nós, humanos, somos apenas mais um entre
milhares de seres vivos.

deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tartaruga Nara

acompanhe a gente!