Blog

Bate-papo: Literatura indígena para a infância

Neste 19 de abril, A Taba promoveu o bate-papo Literatura indígena para a infância: lugares de fala e espaços de circulação. Participam os escritores Julie Dorrico e Edson Krenak e o ilustrador Maurício Negro. A mediação será feita por Denise Guilherme.

Durante o encontro, foi discutida a importância da literatura indígena para a infância na desconstrução de estereótipos e construção de novas políticas simbólicas e sociais para as populações indígenas do nosso país.

Confira como foi a conversa:

Sites citado por Julie Dorrico:

Bibliografia das publicações indígenas no Brasil.

Livraria Maracá: livraria especializada em literatura indígena.

Participaram da conversa:

Julie Dorrico é macuxi. Doutoranda em Teoria da Literatura na PUCRS. Autora da obra Eu sou macuxi e outras histórias, publicada pela editora Caos e Letras (2019). Primeiro lugar no concurso FNLIJ/Tamoios de novos escritores indígenas (2019).

Edson Krenak é filho do povo krenak, dos descendentes dos Botocudos da antiga aldeia de Procrane. Seus pais e avós nasceram e viveram às margens do Watu (Rio Doce), de onde ele também guarda lindas memórias, como a da narrativa d’O Sonho de Borum. Tem formação em Letras e em Estudos Literários pela Universidade Federal de São Carlos/SP. Vive em Viena, na Áustria, onde estuda antropologia jurídica e desenvolve atividades  divulgando as culturas indígenas do Brasil.

Maurício Negro é ilustrador, designer gráfico e escritor. Organizou e ilustrou o livro Nós — uma antologia da literatura indígena (Companhia das Letrinhas). Paulistano, formou-se em Comunicação Social pela ESPM e já ilustrou mais de cem livros de autores estrangeiros e brasileiros ao longo de quase 20 anos de carreira.  Foi indicado para prêmios nacionais e internacionais e em 2013 venceu o Prêmio Jabuti com o livro A Ilha do Crocodilo – Contos e Lendas do Timor Leste (FTD).

Mediação:

Denise Guilherme é idealizadora do Clube de Leitores A Taba – considerada a melhor curadoria do Brasil. Mestre em Educação pela PUC, é professora no Curso de Pós Graduação Literatura Para Crianças e Jovens, no Instituto Vera Cruz em São Paulo. Em 2019, foi jurada do Prêmio Jabuti e do Prêmio SESC Criança de Literatura.

Leia mais:

19 livros para nos aproximarmos das culturas dos povos indígenas brasileiros

Autor Ataba

Luísa Cortés Apaixonada por histórias desde criança, não deu outra: foi estudar Letras e Jornalismo para contar as suas próprias. Hoje, edita o blog da Taba, numa missão de contaminar cada vez mais pessoas com o vírus da leitura.

compartilhe essa leitura!

deixe seu comentário!

2 comentários

Erineide

19 de April de 2020

Desde já estou na expectativa, é sempre bom agregar novos conhecimentos.

responder

Erineide

19 de April de 2020

Já estou ansiosa para participar.

responder