Meus livros de Natal preferidos

por:

Meus livros de Natal preferidos

Convidamos parceiros, autores, mediadores, colunistas e o time da Taba para fazer uma rica seleção de livros de natal. Histórias que marcaram a infância, as memórias de natal em família, com os filhos, na sala de aula e aquelas que ressignificaram o sentido do natal. O resultado é uma seleção carregada de memória afetiva. Então, vamos descobrir os livros de Natal preferidos de quem faz A Taba existir e nos apoia fazendo parte desta aldeia de leitores!

Sonho de Neve, de Eric Carle
Esse é o meu livro preferido de natal , pensando na leitura com bebês e crianças pequenas , pois traz o simples e singelo. Como a essência da vida. A Ilustração é comovente e divertida e por fim, o som dos metais que surpreendem!
Cássia Bittens, colunista A Taba

“Como o Grinch roubou o Natal” é um livro delicioso, daqueles que nos convidam a serem lidos em voz alta! Hoje posso dizer que o Grinch ressignificou meu Natal, pois, quando penso nas festividades de final de ano me recordo das vivências que já tive com minhas crianças e como que, em muitas delas, o Grinch se fez presente, trazendo risadas, diversão e reflexão.

Helder Guastti, mediador e colunista A Taba

O Natal de Nkem, de Sunny
Sunny, nigeriano, questionou a sua mãe: como a festa de Natal chegou aqui se era de Jerusalém? Ela então contou a história que está no livro. A história de Natal nasceu da escuta, de um viajante, contador de história que levava consigo um presente de natal. Nken, curioso como todo menino, perguntou ao viajante Amén o que era Natal e  o viajante contou sobre Jesus e tudo mais que por aqui já conhecemos… mas por lá o Natal nasceu naquele momento da escuta e da passagem de tantas dificuldades – assumir um trono, após a morte da avó. A palavra do viajante trouxe acalanto para ele passar por isso tudo, assim, Nken proclamou, após assumir o trono, Natal em seu reino. Acho interessante que, por mais que não seja uma tradição nascida na Nigéria, ela chegou lá e tem uma narrativa que explica como. Achei incrível. Sem contar, que a medida que lemos, vamos nos enchendo de amor e fé.
Ananda Luz, mediadora A Taba

Natal com lua cheia, chuva miúda e perfume de jasmim, de Sonia Robatto
É um livro fofo, que remete à memória da simplicidade  do Natal para uma criança, à ternura dos pequenos gestos como presentes e ao carinho dos avós.

Elis Alves, mediadora e colunista A Taba

“O pinheirinho de Natal”, de Hans Christian Andersen

O conto trata da vaidade de um pinheiro que anseia por ser árvore de Natal, mas percebe que tudo é perecível e seu encanto é passageiro, mesmo assim não é uma história triste, pois dá a entender que o Pinheirinho foi feliz em cumprir o seu papel

Elis Alves, mediadora e colunista A Taba

Conto de Natal de Auggie Wren, de Paul Auster

Um conto nada convencional de um dos meus autores preferidos!

Renato Moriconi, autor e parceiro A Taba

Rose Serrão, mediadora A Taba

Isadora Freire, mediadora A Taba


Monisa Maciel, mediadora A Taba

Papai Noel, um velhinho de muitos nomes
Dentro desse livro tem um conto chamado Um Natal Tropical, de Lilia Moritz Schwarcz. O conto fala de um menino que, próximo ao Natal, precisa ir com o pai, um antropólogo, para uma aldeia indígena no Pará, mas ele queria mesmo era ter ficado em casa para aproveitar o natal. Ao longo do livro ele vai descobrindo as tradições de fim de ano do povo Tirió e descobre que o papai noel passou por lá – só não do jeito que ele imaginava.
Henrique Freitas, time de tecnologia A Taba

O mistério do Natal, de Jostein Garder
O livro conta uma história que se passa 24 dias antes do Natal, retomando a ideia do calendário do advento. Aliás, cada capítulo é uma viagem para dentro de um dos dias do calendário, sempre com um desafio a ser enfrentado pelos personagens. No final, conhecemos a história cristã do Natal.

Denise Guilherme, idealizadora e diretora de curadoria A Taba

Mel Matsunaga, CEO da Taba
Carol Mennocchi, colunista A Taba

Luana Lobo, social media A Taba

Julia Mota, relacionamento A Taba na Escola

Botas Vermelhas do Natal, Carol Greene (1995)
Botas Vermelhas do Natal foi a história natalina que mais revisitei enquanto criança. É uma história que em muito se assemelha à Pequena Vendedora de Fósforos, mas traz um final otimista. Ela tem vários personagens: um vendedor ganancioso e rabugento, uma avó e uma neta bondosas e muito pobres, uma menina mimada e seu pai rico. Diferente da Pequena Vendedora de Fósforos, em Botas Vermelhas do Natal a personagem pobre é vista pelos outros personagens, que se deixam sensibilizar e tocar pelo espírito natalino cristão. Essa história tem origem em um conto alemão Die roten Stiefel de Paul Chrystoph (1966), que foi adaptado por Carol Greene (1995) e deu origem à animação Botas Vermelhas do Natal, disponível no Youtube.

Bel Coimbra, do canal Conta Outra, parceira A Taba

deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1 comentário
Tartaruga Nara

acompanhe a gente!